Low Code X Pro Code: entenda os benefícios de uma solução customizada no seu negócio

por | jan 27, 2022 | CAMUNDA, NTConsult, Transformação Digital

Empresas que desejam crescer de forma rápida e escalável percebem todos os dias a importância de ter seus processos de negócio automatizados. Isso não é novidade, e não é à toa que organizações que investem em automação e transformação digital conseguem dar saltos de crescimento¹.

“Observando grandes empresas (com 1 bilhão de dólares ou mais em receitas anuais) que estão atingindo suas metas, encontramos três fatores distintos: elas tornam a automação uma prioridade estratégica, focam nas pessoas tanto quanto na tecnologia e desenvolvem um modelo operacional que permite crescimento escalável”.

Acontece que há várias possibilidades para projetar suas plataformas de soluções digitais. Um debate relevante nesse meio é qual opção usar: devemos optar por plataformas low code (como Mendix, OutSystems, Biznessapps e outras) ou pro code (como Camunda , por exemplo)? Enquanto a primeira opção oferece uma alternativa mais simples, pré-formatada e de rápida implementação, a segunda entrega uma solução customizada para resolver desafios mais complexos.

A questão que você deve se perguntar é: “qual delas realmente vai solucionar meus problemas de negócio, agregar valor e me ajudar a crescer, trazendo retorno ao investimento que fiz em minha empresa?”

Temos a resposta e iremos contar para você. Mas primeiro, de forma breve, vamos entender melhor esses termos.

Low Code

Plataformas low code costumam abstrair pedaços de código em artefatos visuais e permitem que os usuários manipulem esses artefatos com ferramentas simples de arrastar e soltar. Isso proporciona facilidade de uso e agilidade. Em linhas gerais, essas soluções também costumam ser mais baratas, mas isso não é uma verdade absoluta em todos os cenários (se o seu objetivo é crescer de forma ágil e escalável , por exemplo, pode não ser a melhor opção).

Prós do Low Code

  • Baixa complexidade;
  • Potencial para aumento de agilidade e velocidade de desenvolvimento de algumas demandas;
  • Pode minimizar os riscos criados por programação não autorizada, como shadow IT;
  • Permite que pessoas não programadoras desenvolvam softwares e aplicativos simples;
  • Possibilidade de monitoramento do código e estabelecimento de padrões automaticamente para uma base de código auditável;
  • Maior autonomia dos negócios com relação a TI.

Contras do Low Code

  • Escalabilidade consideravelmente limitada (falaremos mais disso ao decorrer do post);
  • O suporte de integração de terceiros também é limitado;
  • Plataformas low code reduzem a capacidade de otimizar o código-fonte da solução;
  • Limitada a casos de uso comuns, suportados pela plataforma (falta de fit da ferramenta com as características do seu negócio é um risco considerável);
  • Não há controle assertivo sobre o desempenho da solução;
  • As soluções desenvolvidas possuem bases de código maiores, visto que as bibliotecas de código precisam lidar com várias condições e tarefas para atender a uma série de propósitos do low code;
  • Mais riscos de conformidade e segurança para o negócio;
  • Menor liberdade para lidar com questões de customer experience e user experience;
  • Delegar a segurança de informação de seus processos a terceiros;

Pro Code

Quando falamos em pro code, nos referimos ao desenvolvimento especializado, com código performático e seguro, desenvolvido por especialistas altamente capacitados que constroem a aplicação de acordo com as melhores práticas e, principalmente, alinhando às necessidades que o negócio exige, sem perder algumas características do low code.

Prós do Pro Code

  • Alta flexibilidade;
  • Potencial de escalabilidade ilimitada;
  • Permite que você desenvolva protótipos iniciais para tornar seu aplicativo uma realidade de acordo com as necessidades do projeto/cliente;
  • Propicia que sua equipe compreenda melhor a estrutura do produto;
  • Gera uma estimativa precisa do tempo que levará para se criar novos recursos;
  • Maior disponibilidade de mão de obra;
  • Diminuição do gap entre Business & IT.

Contras do Pro Code:

  • Exige que a solução seja desenvolvida por profissionais altamente qualificados;
  • Exige gestão de mudança para uma cultural focada em hiperautomação.

Bernd Rücker nos brindou com esta imagem que ajuda a compreender facilmente, o cenário mais adequado entre as diversas soluções de mercado.

Sweet Spots – Bernd Rüecker

Na prática, qual a melhor escolha para o meu business?

Basta compreender o conceito dos dois termos para perceber suas diferenças, mas vamos focar no que interessa: “que impacto isso terá no meu negócio?” Vamos lá:

Enquanto plataformas low code apresentam uma opção mais simples e padronizada, de fácil implementação e uso (e tudo isso, de fato, é bom), elas possuem limitações relevantes (e é aqui que a coisa pega). A principal delas é a escolha entre a dicotomia da liberdade e segurança. Se por um lado o low code pode lhe trazer uma sensação (ainda que momentânea) de menor dependência da TI, depois de alguns lighthouse projects³, que sem dúvida aumentam a escalabilidade do negócio, o próximo passo para os broad scales projects4 colocam a empresa em choque com a maior complexidade destes projetos, como processos e2e, com um público maior, mais complexos, com maior escalabilidade, necessidade de integração e segurança da informação, o que fazem do low code uma ilusão a longo prazo. Por outro lado, o high code, que posiciona a TI como um gargalo estratégico no dinâmico mundo dos negócios atuais, com seu extenso ciclo de devops do desenvolvimento tradicional, somado ao problema do “telefone sem fio” que existe entre o negócio e a TI em muitas empresas por aí.

Ao avaliar essa dicotomia, muitos podem rapidamente escolher em que lado preferem estar, mas um olhar mais crítico certamente não gostaria de abrir mão nem da liberdade e nem da segurança. Tem que haver um caminho do meio, e pro code tem se mostrado como um fruto ao alcance da mão.

No pro code, você encontrará padrões low code que são compreensíveis por usuários de negócio e de TI, como BPMN e DMN, que permitem a documentação vinculada à execução, diminuindo muito a carga e complexidade do high code, além de tirar os programadores de uma situação em que eles tenham que ficar reinventando a roda a cada automação. Além disso, ajuda a evitar as ciladas técnicas impostas pelos “no code/low code”, como a dependência de fornecedores em uma linguagem proprietária com pouca oferta de mão de obra no mercado. Assim, o pro code precisa ser poliglota e fácil de integrar com qualquer linguagem de programação. A ideia, em prol da agilidade, é usar os padrões para diminuir drasticamente a complexidade e delegar as tecnologias específicas – o que elas fazem com excelência.

Existe uma certa ambiguidade no quanto uma solução pré-pronta pode ser adaptável ao seu negócio. Não importa se o seu business for um banco, uma grande empresa de mídia ou de qualquer outro setor, sempre haverá características específicas do seu negócio, seus processos e sua cultura que uma solução low code não conseguirá englobar. Mesmo que essas soluções já tenham sido pensadas para serem usadas em companhias do mesmo setor que a sua, elas ainda não serão concebidas pensando especificamente para as nuances do seu negócio, e sim em um negócio que talvez se pareça somente em alto nível com o seu. Dessa forma, a escalabilidade está comprometida, pois você conseguirá crescer somente até o ponto em que a plataforma permite, gerando gargalos futuros e barrando sua expansão. Quando detalhes específicos dos seus processos, do seu público e das suas necessidades começarem a se mostrar vitais em sua estratégia de crescimento para se diferenciar competitivamente, sua plataforma low code não será o suficiente para dar conta dessa demanda, de modo que desembaraçar este novelo de lã vai fatalmente sobrar para sua TI. É mais um episódio da novela em que o mocinho é visto como o vilão.

Isso tudo não quer dizer que plataformas low code não sejam boas, mas pode significar que não é a melhor opção para você, se realmente estiver pensando em hiperautomação. Sabemos disso porque ajudamos diversas empresas a desembaraçar o novelo ao longo dos anos. Elas costumavam optar por alternativas comerciais padronizadas e pré-prontas, porque, afinal, quem é que não gosta de investir menos e esperar o maior retorno? Bom, quando falamos em investimento estratégico de tecnologia, sabemos muito bem que o importante é investir certo, ao invés de investir menos ou mais. Sabemos que em TI, é preciso sim atender às demandas emergentes, mas também é preciso construir uma ponte para o futuro!

Dessa forma, se seu objetivo é um crescimento escalável e ágil, a melhor opção é uma plataforma pro code. Vamos falar aqui da ferramenta Camunda, que tem se mostrado uma plataforma bastante viável neste quesito (você pode conhecer mais sobre nossos serviços especializados em Camunda clicando aqui). Além de oferecer uma solução altamente customizável, Camunda é developer friendly, livrando o projeto de automação dos potenciais entraves do low code. Por ser uma ferramenta poliglota, Camunda também permite trabalhar com qualquer linguagem de programação, aumentando sua capacidade de conectividade com outras tecnologias e disponibilidade de profissionais.

Imagine a quantidade de processos e fluxos de trabalho que sua empresa possui e executa diariamente. Se sua organização quer crescer, a tendência é que esses workflows também se tornem mais volumosos. Isso gera uma lógica muito complexa para as ferramentas low code, mas Camunda permite que você integre perfeitamente todos os sistemas, processos, regras de negócio e tudo que for necessário, sendo a melhor maneira de potencializar as habilidades de suas diferentes equipes e resolver seus desafios.

Dessa forma, podemos concluir que o uso de uma ferramenta pro code e developer friendly como Camunda é inevitável para empresas que querem crescer, pois não existe um padrão lógico único capaz de englobar todos os cenários e condições de desenvolvimento de aplicações, o que significa que você precisa de ferramentas que sejam específicas para o seu business!

E você, quer transformar o negócio da sua empresa e crescer de forma ágil e escalável? Entre em contato com a gente deixando uma mensagem no formulário abaixo. A NTConsult é uma empresa global com times de profissionais qualificados e especialistas em hiperautomação, atuando há quase duas décadas no mercado de soluções digitais e 14 anos com automação de processos. Podemos construir soluções personalizadas, seguras e escaláveis, com infraestruturas de autenticação protegidas e interfaces de usuário sofisticadas e intuitivas.

Além disso, a NTConsult é a única reseller oficial da Camunda na América Latina e possui a certificação nível Platina, não somente no Brasil como nos Estados Unidos, onde temos escritórios e clientes. Utilizando essa ferramenta, salvamos diversos projetos e ajudamos empresas espalhadas pelo mundo a automatizar qualquer processo em qualquer lugar!

Agora chegou a vez de dar um boost na sua empresa! Retornaremos sua mensagem em breve com a solução que mais se adequa ao seu objetivo!


Autor: Philippe Alencar

Sobre: redator e analista de posicionamento de mercado, graduado em Administração com especialização em Marketing e Governança de TI, atuando há 10 anos no mercado de soluções digitais.

Autor: Rodrigo Carlstrom

Sobre: consultor BPM há 18 anos, tendo trabalhado com análise, automação, operação e melhoria de processos de negócio e como Gerente de Projetos e Gestor de Mudanças em grandes empresas do mercado. Certificado Black Belt, PMP e Camunda Engineer.

REFERÊNCIAS:

Empresas que investem em automação e transformação digital conseguem dar saltos de crescimento¹:
https://www.mckinsey.com/business-functions/operations/our-insights/the-imperatives-for-automation-success

Sweet Spots – Bernard Rücker²:
https://blog.bernd-ruecker.com/exploring-the-process-automation-map-7d9aa181a747

Lighthouse Projects³:
https://www.youtube.com/watch?v=oucmgIsXuQw&t=311s

Broad scales projects4:
https://www.youtube.com/watch?v=oucmgIsXuQw&t=372s

To share

Related Posts